Bhante Shravasti Dhammika

Objectivo Principal e Secundário do Budismo

Publicado em Atualizado em

Objectivo Principal:
Despertar (iluminação), atingir o Nirvana
Objectivos Secundários:
Ser bom, gentil, honesto, bom cidadão, ter um bom renascimento, etc.

Existem várias formas de praticar o budismo, alguém pode-se considerar budista sem mesmo ter o objetivo principal que é a iluminação. A prática de quem tem o objectivo principal e secundário será diferente.
Quem quer atingir a iluminação nesta vida precisa de uma dedicação muito mais séria, normalmente são os monges que seguem por essa via, mas claro que os leigos também podem seguir por esse caminho.
Quem tem objectivos secundários não precisa de uma prática tão profunda e pode-se envolver mais em actividades mundanas, mas no mínimo deveria seguir os 5 preceitos e ir implementando mais práticas e dedicação conforme as suas aspirações e evolução no Caminho.

“O Buddha ensinou que existem dois objetivos na Leia o resto deste artigo »

Os 5 Preceitos

Publicado em Atualizado em

1. Evitar matar ou ferir seres vivos
2. Evitar roubar

3. Evitar a má-conduta sexual
4. Evitar mentir
5. Evitar o álcool e outras drogas intoxicantes

*    *    *    *

Trechos do livro “Boas perguntas, Boas respostas” de Bhante Shravasti Dhammika.

Pergunta: Outras religiões derivam suas ideias sobre o que é certo e errado a partir das ordens de seu deus ou deuses. Vocês budistas não acreditam em um deus, então, como vocês sabem o que é certo e o que é errado?
Resposta: Quaisquer pensamentos, discursos ou ações que se baseiem em ganância, ódio e ilusão, e que, portanto, conduzam para longe do Nirvana, são ruins; e quaisquer pensamentos, discursos ou ações que se baseiem em caridade, amor e sabedoria, e que, portanto, ajudam a clarear o caminho rumo ao Nirvana, são bons. Nas religiões centradas em deus, para saber o que é certo ou errado basta seguir o que lhe mandam. Em uma religião centrada no homem, como o Budismo, para saber o que é certo ou errado é necessário desenvolver uma autoconsciência profunda, assim como autocompreensão. A ética fundada na compreensão é sempre mais forte que a ética que se limita a Leia o resto deste artigo »

Os 3 veículos do Budismo – Theravada, Mahayana e Vajrayana

Publicado em Atualizado em

Trechos do livro “Boas perguntas, Boas respostas” de Bhante Shravasti Dhammika.

Pergunta: Você pode dizer alguma coisa sobre os diferentes tipos de Budismo?
Resposta: Em seu auge, o Budismo se espalhava da Mongólia às Maldivas, da Báctria a Bali, e, portanto, precisava ser atrativo para pessoas de muitas culturas diferentes. Ademais, na medida em que durou por muitos séculos, necessitou adotar e se adaptar conforme a vida social e intelectual das pessoas se desenvolvia. Consequentemente, apesar de a essência da Dhamma permanecer a mesma, sua forma externa mudou consideravelmente. Atualmente existem três espécies principais de Budismo: Theravada, Mahayana e Vajrayana.

Pergunta: O que é Theravada?
Resposta: O nome Theravada significa “Os Ensinamentos dos Antepassados”. Sua base é principalmente o Pali Tipitaka,  Leia o resto deste artigo »

Desapego e Apego

Publicado em Atualizado em

O Desapego | Gyomay Kubose
Excerto do livro: Budismo Essencial: A Arte de Viver o Dia-a-Dia

O desapego é um dos mais importantes ensinamentos budistas. Na verdade, a vida de iluminação é o caminho do desapego. Muitos dos problemas da vida são causados pelo apego. Ficamos com raiva, preocupados, tornamo-nos ávidos, fazemos queixas infundadas e temos todos os tipos de complexos. Todas estas causas de infelicidade, tensão, teimosia e tristeza são devidas ao apego. Se você tem algum problema ou preocupação, examine a si mesmo e descobrirá que a causa é o apego.
Existe uma famosa história zen sobre um mestre e seu discípulo. Os dois estavam a caminho da aldeia vizinha quando chegaram a um rio caudaloso e viram na margem, uma bela moça tentando atravessá-lo. O mestre zen ofereceu-lhe Leia o resto deste artigo »