Vida e Cultura

Espiritualidade num mundo capitalista | entrevista a Dokushô Villalba

Publicado em Atualizado em

capitalismo-negocios-dinheiro

Tradução da Entrevista a Dokushô Villalba, feita pelo site Código Nuevo e publicada em 16/08/2017. Ver artigo original.

O zen não é uma resposta espiritual a um mundo materialista, é uma forma de viver que inclui […] a espiritualidade e o materialismo”
Taisen Deshimaru

Dokushô Villalba é o primeiro mestre espanhol de Budismo Zen. Reside no Mosteiro Luz Serena de Requena (Valência), Espanha. Utiliza diariamente um iMac, um iPhone e um iPad. Também um carro, luz eléctrica e água corrente. Alguém se perguntará como um monge budista pode usar os símbolos do consumismo de uma maneira descarada.

Contra a opinião popular, o budismo não renuncia ao mundo: não se afasta dele e nem menospreza o progresso tecnológico e científico. Então, fomos Leia o resto deste artigo »

Anúncios

Heidegger e o Oriente | Prof. Marco Aurélio Werle e Monja Coen

Vídeo Publicado em Atualizado em

“Martin Heidegger, filósofo alemão, construiu a sua doutrina em torno da questão do ser e da existência. Ele investigou a existência interior e pessoal. Para Heidegger a ruína do ser acontece com o desvio de cada indivíduo do seu projecto essencial em favor de preocupações quotidianas, o Eu individual seria sacrificado e confundido na massa colectiva da sociedade.”

O Prof. Marco Aurélio explica a filosofia do Heidegger dividindo a sua explanação em 3 pontos: (1) Contexto no qual se coloca o pensamento Heideggeriano; (2) O problema que Heidegger enfrente com a sua filosofia; (3) As possibilidades que são próprias à filosofia do Heidegger.

Posteriormente, Monja Coen fala dos pontos em comum entre o o pensamento Heideggeriano e o Budismo Zen.

Veja também:


Sobre Monja Coen | Lista de Mestres e Professores

[Documentário] The Departure

Vídeo Publicado em Atualizado em

The Departure oferece informações sobre as ironias e contradições na vida do sacerdote zen budista Ittetsu Nemoto. 

Explorando perguntas profundas sobre o que significa estar vivo, The Departure, um documentário sensível e envolvente sobre a vida de um sacerdote zen budista no Japão que dedicou sua vida à prevenção do suicido, obteve muito boas críticas depois da sua estreia no Tribeca Film Festival em abril.

Descrito por um crítico como: “Uma missão espiritual cinematográfica. Uma viagem ao topo da montanha que irá deixá-lo comovido, com olhos lacrimejantes e vibrando completamente com a sensação de sentir-se vivo “.

A realizadora, escritora e produtora Lana Wilson, premiada com Emmy, descreve The Departure como a história de “…um japonês punk-rocker-que-virou-sacerdote-budista e que Leia o resto deste artigo »

Como uma estátua do Buda ajudou a transformar um bairro com problemas de criminalidade

Publicado em Atualizado em

No bairro que rodeia a esquina da 11th Avenue e da  East 19th Street em Oakland, Califórnia, buracos profundos e lixo marcam as estradas. Mas logo na intersecção, há uma visão inesperada: um templo de Buda perfeitamente bem cuidado.

Nessa área marcada por diversos crimes e violência, Dan Stevenson, um dos moradores, decidiu colocar a estátua para trazer mais tranquilidade ao bairro.

“Muito graffiti, muita urina e coisas de droga”, diz Dan Stevenson, “colchões, mesas – apenas lixo, apenas lixo contínuo”.

Dan Stevenson não é budista, nem segue uma religião, mas esperava que a estátua pudesse criar um ambiente de paz no seu entorno. A sua visão concretizou-se, a estátua de Buda fez com que a criminalidade tivesse uma queda de Leia o resto deste artigo »

[Vídeo] Bodhisattva in Metro

Vídeo Publicado em Atualizado em

Bodhisattva in Metro, também conhecido por Merci!, mostra o pouco que é necessário para fazer o bem, uma simples gargalhada pode alegrar muita gente. Um Bodhisattva é um ser iluminado que fez o voto de servir generosamente todos os seres vivos com bondade amorosa e compaixão para aliviar a dor e sofrimento. Esta curta foi realizada por Christine Rabette.

Consegue ver sem rir? 😀

Após a estreia dessa curta, várias pessoas reproduziram o mesmo, alguns desses vídeos podem ser encontrados na internet.

Veja também:

A poesia de Fernando Pessoa e o Budismo Zen

Publicado em Atualizado em

[Vídeo-Palestra] A poesia de Fernando Pessoa e a desconstrução budista da noção de «eu» | Paulo Borges

A tese da afinidade entre a poesia de Alberto Caeiro e o budismo Zen | Paulo Borges
(Excerto de: As coisas são coisas? Alberto Caeiro e o Zen)

Tende a predominar nos estudos pessoanos a tese da afinidade entre a poesia de Alberto Caeiro e o budismo Zen, destacando-se como excepção a justa análise de Richard Zenith (1999), que mostra bem várias diferenças entre Caeiro e o Zen, sendo a principal, a nosso ver, que o poeta português se interessa mais pela natureza do que pelo satori ou iluminação. A tese surgiu antecipadamente avalizada com o prestígio de autoridades internacionais como D. T. Suzuki (apud ALMEIDA, 1986) e Thomas Merton (1966). Onésimo Teotónio Almeida (1986) deu conta de como o segundo, um eminente contemplativo católico muito interessado pela espiritualidade oriental e Zen em particular, deu a conhecer alguns poemas por si traduzidos de O Guardador de Rebanhos a D. T. Suzuki, o grande divulgador do Zen no Ocidente, e este reconheceu “uma grande qualidade zen” na poesia caeiriana. O mesmo Leia o resto deste artigo »

Espiritualidade na adolescência

Publicado em Atualizado em

jovens-adolescentes-meninas-orando-espiritual

Trechos da Introdução do livro “Buda na Mochila: Budismo prático para jovens”, de Franz Metcalf. Editora Pensamento.

A adolescência (assim como outras fases da vida, mas, sobretudo, a adolescência) é realmente difícil. É preciso ser filha ou filho, irmã ou irmão, neto, parente, vadio, adolescente com os hormônios a mil, estudante, cidadão, trabalhador, “futuro líder”, parte do ecossistema, psicoespiritualista, ser humano. Você tem de ser tudo isso, o que requer certo esforço. […]

Os esforços mais importantes despendidos por um adolescente — a transição para Leia o resto deste artigo »

Conheça 8 Organizações Budistas Internacionais

Publicado em Atualizado em

1: The World Fellowship of Buddhists 

A WFB é uma organização budista internacional, iniciada e impulsionada por Gunapala Piyasena Malalasekera, foi fundada no ano de 1950, em Colombo no Sri Lanka, por representantes de 27 nações.

Ainda que existam várias escolas e tradições do budismo, nomeadamente Theravada, Mahayana e Vajrayana, todas partilham de uma base comum. Muitos estudiosos perceberam que o budismo deveria ter uma unidade e amizade para a sustentabilidade e prosperidade do budismo. Surge assim uma organização que pretende reunir todas as escolas e tradições do budismo.

Os fins e objectivos da World Fellowship of Buddhists são:

  1. Promover entre os membros a estrita observância e prática dos ensinamentos do Buda;
  2. Assegurar a unidade, solidariedade e fraternidade entre os budistas;
  3. Propagar a sublime doutrina do Buda;
  4. Organizar e realizar actividades no domínio dos serviços sociais, educativos, culturais e outros serviços humanitários;
  5. Trabalhar para a felicidade, a harmonia e a paz na terra e colaborar com outras organizações que trabalham para os mesmos fins.

Mais informações: Site oficial, WFBYouth

2: World Buddhist Sangha Council Leia o resto deste artigo »

Correr com a mente de meditação | Sakyong Mipham

Publicado em Atualizado em

“As pessoas me perguntam sobre a relação entre mente e corpo e atualmente eu estou treinando para correr uma maratona. As pessoas pensam que é meio inusual que um lama tibetano faça exercícios, ainda mais correr uma maratona, e qual é a relação entre corpo e mente e entre correr e meditar.

Então para mim, não é tão surpreendente; quero dizer, acho que há uma tradição do corpo e mente e acho que no ocidente às vezes o corpo e a mente têm sido separados. Assim quando as pessoas pensam em meditação ou espiritualidade, acham que estão muito separados do corpo per se.

Mas da forma em que fui treinado e criado, e da forma como entendo esse tópico e meio que a experiência toda, é que na verdade estão unidas. Quando meditamos, por exemplo, mesmo na meditação sentada, é uma experiência do corpo inteiro. Uma experiência totalmente da mente. Leia o resto deste artigo »

Ciência, espiritualidade e humanidade | Dalai Lama

Publicado em Atualizado em

ciencia-robot-ia

Transcrição da Conclusão – Ciência, espiritualidade e humanidade, do livro “O Universo num átomo”, de Dalai Lama. Editora: QuidNovi

Olhando retrospectivamente para os meus setenta anos de vida, vejo que o meu encontro pessoal com a ciência começou num mundo quase inteiramente pré-científio, onde o tecnológico parecia miraculoso. Suponho que o meu fascínio pela ciência permanece ainda num assombro inocente perante as maravilhas que ela consegue fazer. Desde esses primórdios, a minha viagem ao país da ciência levou-me a questões de grande complexidade, como o impacto da ciência na nossa compreensão do mundo, o seu poder para transformar as vidas humanas e a própria Terra onde vivemos, e os terríveis dilemas morais que estas novas descobertas colocaram. No entanto, não podemos nem devemos esquecer a maravilha e a beleza daquilo que se tornou possível.

Os conceitos da ciência enriqueceram muitos aspectos da minha mundividência budista. A teoria da relatividade de Einstein, com as suas brilhantes experiências pensadas, proporcionou uma Leia o resto deste artigo »

O Universo num Átomo | Dalai Lama

Publicado em Atualizado em

Em cada átomo dos reinos do Universo,
Existem vastos oceanos de Universos.
(O Grande Ornamento Floral,  uma escritura budista antiga)

Thangka Tibetana Astrológica
Thangka Tibetana Astrológica: O movimento dos signos do zodíaco e planetas – 1684

Trechos do Cap. 4 – O Big Bang e o universo budista sem princípio; do livro “O Universo num átomo”, de Dalai Lama. Editora: QuidNovi

Quem não experimentou um sentimento de admiração ao olhar para a profundidade dos céus iluminados por estrelas sem fim numa noite límpida? Quem nunca se perguntou se há uma inteligência por detrás do cosmos? Quem nunca meditou sobre se o nosso planeta será o único a albergar seres vivos? Para mim estas interrogações são naturais na mente humana. Em toda a história da humanidade, houve um impulso real para encontrar respostas a estas questões. Uma das grandes realizações da ciência moderna é ter-nos feito chegar mais perto do que nunca de uma compreensão das condições e dos processos complicados subjacentes à origem do nosso cosmos. […]

A cosmologia moderna — tal como muitas outras coisas nas ciências físicas — baseia-se na teoria da relatividade de Einstein. Em cosmologia, as observações astronómicas em conjunto com a teoria da relatividade geral, que introduziu o conceito de gravidade como curvatura do espaço e do tempo, mostraram que o nosso universo não é eterno nem estático na sua forma actual. Está em evolução e expansão contínuas. Esta descoberta está de acordo com a intuição básica dos cosmólogos budistas da Leia o resto deste artigo »

Comunicado da UBP: Adeus a Mário Soares

Publicado em Atualizado em

Segue comunicado integral da União Budista Portuguesa acerca da morte do Dr. Mário Soares ocorrida no Sábado passado.

O nosso Adeus a Mário Soares

Mário Soares e Dalai Lama
Mário Soares e S.S. Dalai Lama num encontro inter-religioso na Mesquita de Lisboa, 2007

Foi com enorme tristeza que a União Budista Portuguesa recebeu a notícia do falecimento do Dr. Mário Soares. Ao seu inegável e fundamental papel na recente História Política e Social de Portugal, acresce a importância da sua actuação nos primórdios do Budismo no nosso País.

De facto, foi pela pena do Dr. Mário Soares que foi oficialmente endereçado, em 1977, o primeiro convite a Sua Santidade o Dalai Lama para visitar Portugal.

Foi pois com naturalidade que, na sua primeira visita ao nosso País em 2001, Sua Santidade o Dalai Lama tenha sido agraciado com o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Lusófona do Porto, tendo sido o seu padrinho ou promotor, o Dr. Mário Soares.

Em 2007, na segunda visita do Líder Religioso Tibetano a Portugal, Mário Sores assumiu um papel fundamental na realização do encontro inter-religioso que teve lugar na Mesquita de Lisboa e entrevistou-o para a RTP no programa “Mario Soares, Conversas com o Dalai Lama”.

Mário Soares afirmou por diversas vezes que Leia o resto deste artigo »

David Bowie, o “Camaleão do Rock” que quase se tornava monge

Publicado em Atualizado em

David BowieDavid Bowie morreu a 10 de Janeiro de 2016, dois dias depois de ter completado 69 anos e de ter editado o disco “Blackstar”. Hoje, data em que completaria 70 anos, várias cidades comemoram o seu legado.

Bowie recebeu o apelido de “camaleão” por causa das constantes renovações da sua imagem. Ele foi uma figura importante na música popular e é considerado um dos músicos populares mais inovadores e ainda influentes de todos os tempos, sobretudo por seu trabalho nas décadas de 1970 e 1980, além de ser distinguido por um vocal característico e pela profundidade intelectual de sua obra. A sua influência está em todo o lado: na música, na cultura visual, na moda, nos estilos de vida.

Ele também foi pioneiro em disponibilizar músicas para download. Em 1996 ele disponibilizou exclusivamente pela internet o single “Telling Lies”.

Era músico, cantor, compositor ou letrista, mas acima de tudo era um Leia o resto deste artigo »

Vacuidade, relatividade e física quântica | Dalai Lama

Publicado em Atualizado em

Trecho do Cap. 3 – Vacuidade, relatividade e física quântica; do livro “O Universo num átomo”, de Dalai Lama. Editora: QuidNovi

Uma das coisas mais extraordinárias e fascinantes da física moderna é o modo como o mundo microscópico da mecânica quântica desafia o nosso senso comum. Os factos da luz poder ser considerada como uma partícula ou como uma onda, do princípio da incerteza nos dizer que nunca podemos saber ao mesmo tempo o que um electrão faz e onde está e a noção quântica de sobreposição sugerem um modo de compreender o mundo inteiramente diferente do da física clássica, em que os objectos se comportam de uma forma determinista e previsível. Por exemplo, no caso bem conhecido do gato de Schrodinger, em que um gato é colocado dentro de uma caixa contendo uma fonte radioactiva que tem uma probabilidade de cinquenta por cento de libertar uma toxina letal, somos obrigados a aceitar que, até se abrir a tampa, este gato está ao mesmo tempo morto e vivo, o que parece desafiar a lei da contradição.

Para um budista Mahayana, que conhece o pensamento de Nagarjuna, há uma ressonância indubitável entre a noção de vacuidade e a nova física. Se, ao nível Leia o resto deste artigo »