O Nobre Caminho Óctuplo

Publicado em Atualizado em

Trecho do livro As Quatro Nobres Verdades, de Ven. Ajahn Sumedho

A Quarta Nobre Verdade, assim como as primeiras três, é composta por três fases. A primeira é que: ‘Existe o Óctuplo caminho, ou atthangika magga – o caminho para sair do sofrimento.’ É também chamado de ariya magga, o Ariyan ou Nobre Caminho. A segunda fase é que: ‘Este caminho deve ser desenvolvido’. A ultima revelação é: ‘Este caminho foi plenamente desenvolvido’.

O Óctuplo caminho é apresentado numa sequência, começando com Entendimento Correcto (ou perfeito), samma ditthi, seguindo-se a Intenção ou Aspiração Correcta, samma sankappa; estes dois elementos do caminho são agrupados como Sabedoria (pañña). Compromisso moral (sila) fluí da sabedoria, que por sua vez abrange Linguagem Correcta, Acção Correcta, Meio de Vida Correcto – por vezes referidos como, samma vaca, samma kammanta e samma ajiva.

Depois temos Esforço Correcto, Atenção Plena Correcta e Concentração Correcta, samma vayama, samma sati e samma samadhi, que fluem naturalmente do compromisso moral. Estes três últimos fornecem equilíbrio emocional. Eles falam acerca do coração – o coração que está livre da identificação com o Eu e do egoísmo. Com o Esforço Correcto, Atenção Plena Correcta e Concentração Correcta, o coração é puro, livre de impurezas e contaminações. Quando o coração está puro a mente está em paz. Sabedoria (pañña), ou Entendimento Correcto e Aspiração Correcta, nascem do coração puro. Isto leva-nos de volta ao início.

Assim, estes são os elementos do Óctuplo Caminho, agrupados em três secções:

  1. Sabedoria (pañña)
    • Entendimento Correcto (samma ditthi)
    • Aspiração Correcta (samma sankappa)
  2. Moralidade [ética] (sila)
    • Linguagem Correcta (samma vaca)
    • Acção Correcta (samma kammanta)
    • Meio de Vida Correcto (samma ajiva)
  3. Concentração [meditação] (samadhi)
    • Esforço Correcto (samma vayama)
    • Atenção Plena Correcta (samma sati)
    • Concentração Correcta (samma samadhi)

O facto de aqui os apresentarmos de forma ordenada não significa que os mesmos surjam desta forma linear ou nesta sequência – eles surgem em simultâneo. Quando falamos acerca do Óctuplo Caminho dizemos ‘Primeiro temos Entendimento Correcto, depois temos Aspiração Correcta, depois…’ Mas na realidade apresentado desta forma, ensina-nos simplesmente a reflectir acerca da importância de aceitarmos a responsabilidade sobre aquilo que dizemos e fazemos nas nossa vidas.

*    *   *   *

Trecho de palestra proferida por S. N Goenka em curso de 10 dias.

O caminho de Dhamma é chamado de O Nobre Caminho Óctuplo, nobre no sentido de que, quem quer que o trilhe, estará destinado a tornar-se um coração nobre, uma pessoa santa. O caminho está dividido em três etapas: sīla, samādhi e paññā.

Sīla é moralidade – abster-se de ações nocivas pelo uso do corpo e da palavra.

Samādhi é a ação benéfica de se desenvolver o domínio sobre a mente.

Praticar ambas ajuda, mas nem sīla nem samādhi podem erradicar todas as impurezas acumuladas na mente. Para isso é necessário praticar a terceira etapa:

Paññā, o desenvolvimento da sabedoria, da visão interior que purifica totalmente a mente.

Dentro da divisão de sīla há três partes do Nobre Caminho Óctuplo:
1) Sammā-vācā – Linguagem correta, pureza na ação verbal. Para compreender o que é pureza de linguagem, é preciso conhecer o que é impureza de linguagem. Dizer mentiras para enganar os outros,  usar palavras rudes que magoam os outros, proferir calúnias e maledicências, conversas tagarelas sem propósito; são todas impurezas da ação verbal. Quando a pessoa se abstém do uso delas, o que resta é o correto uso da linguagem.

2) Sammā-kammanta – Ação correta, pureza na ação física. Na trilha de Dhamma só existe uma medida para se avaliar a pureza ou a impureza de uma ação, seja ela física, verbal ou mental, e essa medida consiste em verificar se a ação ajuda ou prejudica os outros. Assim, matar, roubar, cometer violações ou adultério, intoxicar-se a ponto de perder a noção do que se está fazendo, são todas ações que prejudicam os outros e também a si próprio. Quando nos abstemos dessas ações físicas impuras, o que permanece são as ações corretas.

3) Sammā-ājiva – Meio de vida correto. Cada pessoa precisa ter como se sustentar e aos que dela dependem mas, se a sua fonte de renda for prejudicial aos outros, então, não será um meio de vida correto. Talvez, nem se cometam ações incorretas na sua forma de viver, mas se encorajam outros a fazê-lo. Se assim for, a pessoa não vive com correção. Por exemplo, vender bebidas alcoólicas, operar uma casa de jogo, negociar armas, vender animais vivos ou carne de animais; nenhuma dessas atividades tem a ver com o meio de vida correto. Mesmo na profissão mais elevada, se a pessoa tem a motivação de só explorar os outros, ela não está praticando um meio correto de viver. Se a motivação for a de desempenhar a sua função como membro da sociedade, contribuir com as suas capacidades e esforços para o bem geral, tendo por retorno uma remuneração justa com a qual se mantém a si próprio e aos seus dependentes, nesse caso, a pessoa está praticando um modo de viver correto.

Um chefe de família, um leigo, precisa de dinheiro para o seu próprio sustento. O perigo acontece quando ganhar dinheiro se torna um pretexto para inflamar o ego: a pessoa procura acumular o máximo que pode para si próprio, e menospreza aqueles que ganham menos que ele. Tal atitude causa dano aos outros e a si próprio, porque, quanto mais forte for o ego, mais longe a pessoa estará de ser livre. Por conseguinte, um dos aspectos essenciais do viver correto é ser caridoso; partilhar com os outros os nossos ganhos. Assim, a pessoa ganha não só em seu benefício mas também em benefício dos outros.

Se Dhamma consistisse meramente de exortações às pessoas para se absterem de ações que prejudicam os outros, então, não teria efeito. Intelectualmente, a pessoa pode entender os perigos que advêm da prática de ações incorretas e os benefícios da prática das corretas, ou, pode aceitar a importância de sīla por devoção a quem a prega. Mesmo assim, irá continuar a praticar ações incorretas porque não tem controle sobre a mente. Por isso, a segunda divisão de Dhamma, samādhi – desenvolvimento de domínio sobre a sua própria mente.

Dentro da divisão samādhi encontram-se outras três partes do Nobre Caminho Óctuplo:
4) Sammāvāyāma – Esforço correto, exercício correto Pela prática, você poderá ver como a mente é fraca e instável, oscilando sempre de um objeto para outro. Tal mente requer exercício para se fortalecer. Há quatro exercícios para fortalecer a mente: remover dela todas as qualidades nocivas que tenha; fechá-la a qualquer qualidade prejudicial que não tenha; preservar e multiplicar todas as qualidades salutares que estão presentes na mente e abri-la para todas as qualidades que estejam em falta. Indiretamente, pela prática da consciência determinada da respiração (ānāpāna), você começou a pôr em prática esses exercícios.

5) Sammā-sati – Atenção correta, consciência da realidade do momento presente. Do passado, só se pode ter memórias; quanto ao futuro, só pode haver aspirações, medos, imaginações. Você começou a praticar sammā-sati treinando a si próprio para permanecer atento, seja qual for a realidade que se manifestar no presente momento, dentro da área limitada das narinas. Você deve desenvolver a habilidade de permanecer consciente da realidade toda, do nível mais denso ao mais sutil. Para começar, você prestou atenção à respiração consciente, intencional, depois à respiração natural, suave e, depois, ao toque da respiração. Agora, vai trabalhar com um objeto de atenção ainda mais sutil : as sensações físicas naturais dentro dessa área limitada. Pode sentir a temperatura do ar que circula na respiração. Ligeiramente frio quando entra, ligeiramente morno quando sai. Para além dessas, há numerosas sensações não relacionadas com a respiração: calor, frio, coceira, pulsações, vibrações, pressão, tensão, dor, etc. Você não pode escolher qual a sensação sentirá porque não pode criar sensações. Simplesmente observe; apenas permaneça atento. O nome da sensação não é importante; o que é importante é estar consciente da realidade da sensação, sem reagir.

Como viu, o padrão habitual da mente é estar sempre divagando no futuro ou no passado, gerando desejo ou aversão. Pela prática da atenção correta, você começou a quebrar este hábito. Não quer dizer que após este curso esquecerá o passado por completo e não terá qualquer pensamento sobre o futuro. Mas, de fato, você estava habituado a desperdiçar a sua energia divagando, sem necessidade, no passado ou no futuro de tal maneira que, quando necessitava de se lembrar ou de planejar alguma coisa, não conseguia fazê-lo. Desenvolvendo sammā-sati, aprenderá a fixar a sua mente com mais firmeza na realidade presente, concluirá que pode relembrar o passado com facilidade quando necessário e será capaz de tomar providências acertadas para o futuro Estará ao seu alcance levar uma vida feliz e saudável.

6) Sammā-samādhi – Concentração correta. Mera concentração não é o objetivo desta técnica; a concentração que desenvolve deve ter uma base de pureza. Com uma base de avidez, aversão ou ilusão, pode-se concentrar a mente, mas isso não é sammā-samādhi. É preciso estar consciente da realidade presente dentro de si próprio, sem qualquer desejo ou aversão. Sustentando esta consciência, continuamente, a cada momento – isso é sammā-samādhi.

Seguindo escrupulosamente os cinco preceitos, você começou a praticar sīla. Treinando a mente a permanecer focalizada num ponto, o objeto real do momento presente, sem avidez ou aversão, começou a desenvolver samādhi. Agora, continue a trabalhar diligentemente, aguçando a mente, para que, quando começar a praticar paññā, seja capaz de penetrar nas profundezas do inconsciente para erradicar todas as impurezas lá escondidas e desfrutar da verdadeira felicidade – a felicidade da libertação. Verdadeira felicidade para todos vocês.

Sīla leva ao desenvolvimento de samādhi, concentração correta; samādhi leva ao desenvolvimento de paññā, sabedoria que purifica a mente; paññā conduz a nibbāna, libertação de todas as impurezas, iluminação plena.

Dentro da divisão de paññā incluem-se as outras duas partes do Nobre Caminho Óctuplo:
7) Sammā sankappa – Pensamento correto. Não é necessário que todo o processo de pensamento seja interrompido antes de se começar a desenvolver sabedoria. Os pensamentos permanecem, mas o padrão de pensamento muda. As impurezas, no nível superficial da mente, começam a desaparecer por causa da prática da consciência da respiração. Em lugar de pensamentos de avidez, aversão e ilusão, começamos a ter pensamentos sadios, pensamentos sobre Dhamma, o caminho para se libertar a si próprio.

8) Sammā-ditthi – Entendimento correto. Isto é paññā verdadeira, entender a realidade tal qual ela é, não somente como aparenta ser.

Há três estágios para o desenvolvimento de paññā, da sabedoria. O primeiro é sutta-mayā paññā, sabedoria adquirida por ter ouvido ou lido as palavras de outros. Essa sabedoria recebida é muito útil para nos colocar no rumo certo. Porém, por si só, não é capaz de nos libertar por ser, na realidade, apenas sabedoria de empréstimo. Aceitamos o que foi dito como verdadeiro, talvez por fé cega ou, talvez, por aversão, com medo da descrença nos levar ao inferno, ou, até, por cobiça, na esperança de que a crença nos leve para o céu. Mas, seja como for, não é nossa própria sabedoria.

A função da sabedoria recebida deve ser a de levar ao próximo estágio: cintā-mayā paññā, entendimento intelectual. Racionalmente, analisa-se aquilo que se ouviu ou leu a fim de verificar se é lógico, prático, benéfico. Se o for, então será aceito. Esse entendimento racional também é importante, porém, pode ser muito perigoso se for considerado um fim em si próprio. Desenvolvemos nosso conhecimento intelectual e decidimos, por essa razão, que somos muito sábios. Tudo o que aprendemos serve apenas para inflamar o ego; estamos muito longe de nos libertarmos.

A função correta do entendimento intelectual é a de conduzir ao próximo estágio: bhāvanā-mayā paññā, o conhecimento que se desenvolve dentro de si próprio, no plano da experiência. Essa é a verdadeira sabedoria. Sabedoria recebida e entendimento intelectual são muito úteis se nos derem inspiração e orientação para darmos o passo seguinte. Contudo, somente a sabedoria adquirida por experiência própria tem o poder de nos libertar, porque é o nosso próprio saber, baseado na nossa própria vivência.

Um exemplo dos três tipos de sabedoria: Um médico receita um medicamento a um doente. A pessoa vai para casa e, com grande fé no seu médico, recita a prescrição todos os dias; isso é sutta-mayā paññā. Não satisfeito com isso, o paciente volta ao médico, pergunta e recebe uma explicação sobre a receita médica, por que razão ela é necessária e como funcionará; isso é cintā-mayā paññā. Finalmente, o homem toma o remédio; só depois é que a doença será erradicada. O benefício advém somente do terceiro passo, bhāvanā-mayā paññā.

Você veio a este curso para tomar o remédio por si próprio, para desenvolver a sua própria sabedoria Para tanto, precisa entender a verdade no plano da experiência. Existe tanta confusão porque a aparência das coisas difere, por completo, da sua natureza verdadeira. Para remover essa confusão, você deve desenvolver a sabedoria nascida da experiência. E, fora do contexto do corpo, não é possível ter a experiência da verdade; só pode ser intelectualizada. Por isso, é necessário desenvolver a habilidade de experimentar a verdade dentro de si próprio, desde os níveis mais densos aos mais sutis, para que possa livrar-se de todas as ilusões, de todas as amarras.

*    *   *   *

“Ao praticar o Nobre Caminho Óctuplo, a Compreensão Correta [Sammā-ditthi] está no principio como no final. Necessita-se de um grau mínimo de Compreensão Correta logo no principio porque proporciona a motivação correta para os outros sete fatores do Caminho e dá a direção correta.” – Budismo em Poucas Palavras, por Narada Mahathera

*    *   *   *

Palestra sobre o Nobre Caminho Óctuplo, por Tsering Paldron:

*    *   *   *

Veja também:

Saiba mais:

– OlharBudista > Recursos > Budismo Básico –


Sobre S. N. GoenkaAjahn SumedhoNarada MahatheraTsering Paldron | Lista de Mestres e Professores

Advertisements

6 opiniões sobre “O Nobre Caminho Óctuplo

    As 4 Nobres Verdades « Olhar Budista disse:
    23/08/2016 às 12:30

    […] que é a Nobre Verdade do Caminho que Conduz á Cessação do Sofrimento? É este Nobre Óctuplo Caminho, que é como dizer: Entendimento correcto, Intenção Correcta, Linguagem Correcta, Acção […]

    Gostar

    […] simplificar, a sabedoria discriminativa são as Quatro Nobres Verdades e o Nobre Caminho de Oito passos. Aspiramos que as crianças entendam, que todos entendam as suas vidas a partir do referencial das […]

    Gostar

    […] O Nobre Caminho Óctuplo […]

    Gostar

    […] Os Ensinamentos são também para homens e mulheres simples que vivem em casa com suas famílias. O Nobre Caminho Óctuplo é o caminho buddhista de vida que é destinado a todas as pessoas. Esse caminho de vida é […]

    Gostar

    As 3 Jóias « Olhar Budista disse:
    14/02/2017 às 12:56

    […] (…) quando alguém busca refúgio no Buda, deve se lembrar das qualidades de um Buda e trabalhar para desenvolver essas mesmas qualidades em si próprio. A qualidade essencial de um Buda é a iluminação; portanto, o refúgio é, na realidade, tomado na iluminação, na iluminação que se desenvolve dentro de si. Prestamos respeito a qualquer ser que tenha alcançado o estágio de iluminação total; ou seja, é dada importância à qualidade, onde quer que se manifeste, sem limitá-la a uma seita ou um ser particular. E honramos o Buda, não com rituais ou cerimonias, mas colocando em prática os seus ensinamentos, caminhando na trilha de Dhamma desde o primeiro passo, sīla a samādhi, paññā a nibbāna, libertação. […]

    Gostar

    […] O Nobre Caminho Óctuplo […]

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s