Os 3 veículos do Budismo – Theravada, Mahayana e Vajrayana

Publicado em Atualizado em

Trechos do livro “Boas perguntas, Boas respostas” de Bhante Shravasti Dhammika.

Pergunta: Você pode dizer alguma coisa sobre os diferentes tipos de Budismo?
Resposta: Em seu auge, o Budismo se espalhava da Mongólia às Maldivas, da Báctria a Bali, e, portanto, precisava ser atrativo para pessoas de muitas culturas diferentes. Ademais, na medida em que durou por muitos séculos, necessitou adotar e se adaptar conforme a vida social e intelectual das pessoas se desenvolvia. Consequentemente, apesar de a essência da Dhamma permanecer a mesma, sua forma externa mudou consideravelmente. Atualmente existem três espécies principais de Budismo: Theravada, Mahayana e Vajrayana.

Pergunta: O que é Theravada?
Resposta: O nome Theravada significa “Os Ensinamentos dos Antepassados”. Sua base é principalmente o Pali Tipitaka, o mais antigo e mais completo registro dos ensinamentos do Buda. A Theravada é a mais conservadora e a mais centrada na vida monástica das formas de Budismo. Nela se enfatiza os princípios básicos da Dhamma, e há uma tendência a se adotar uma abordagem mais simples e austera em relação a esses princípios. Atualmente a Theravada é praticada principalmente no Sri Lanka, em Burma, no Laos, no Camboja [, Tailândia] e em algumas partes do sudeste asiático.

Pergunta: O que é o Budismo Mahayana?
Resposta: Por volta do Século I a.C., algumas das implicações dos ensinamentos do Buda foram exploradas mais profundamente. Além disso, conforme a sociedade se desenvolvia eram necessárias interpretações novas e mais relevantes desses ensinamentos. As muitas escolas que emergiram a partir dessas novas interpretações foram coletivamente denominadas de Mahayana, que significa “O Grande Caminho”. Tal nome se justificava em face da alegação de que suas propostas eram relevantes para todas as pessoas, e não apenas para os monges e freiras que haviam renunciado ao mundo. A Mahayana eventualmente tornou-se a forma dominante de Budismo na Índia, e, nos dias de hoje, é praticada na China, Coréia, Taiwan, Vietnã e Japão. Alguns theravadinos dizem que a Mahayana é uma distorção dos ensinamentos de Buda. Entretanto, os mahayanistas alegam que o Buda aceitava a mudança como uma das mais fundamentais de todas as verdades, e que sua interpretação do Budismo pode ser considerada como uma distorção da Dhamma tanto quanto o pinheiro pode ser considerado uma distorção da pinha.

Nota: Zen/ChanTerra Pura e Nichiren são escolas Mahayana.

Pergunta: E a Vajrayana?
Resposta: Esse tipo de Budismo emergiu na Índia durante os Séculos VI e VII, em um tempo durante o qual o Hinduísmo passava por um grande renascimento no país. Em resposta a isso, alguns budistas foram influenciados por determinados aspectos do Hinduísmo, especialmente o culto a deuses e o uso de rituais elaborados. No Século XI, a Vajrayana estabeleceu-se solidamente no Tibete, a partir de onde passou a se desenvolver. A palavra Vajrayana quer dizer “O Caminho de Diamante” e se refere à suposta lógica inquebrantável que os vajrayanistas usavam para defender algumas de suas ideias. A Vajrayana se ampara mais em uma espécie de literatura chamada de tantras, do que nas escrituras budistas tradicionais, e, por causa disso, muitas vezes é também conhecida por Tantrayana. A Vajrayana atualmente prevalece na Mongólia, Tibete, Jammu e Caxemira, Nepal, Butão e entre tibetanos vivendo na Índia.

Notas:
(1) Vajrayana também é considerada uma extensão do Mahayana.
(3) Budismo Vajrayana também é conhecido como: Budismo tibetano, esotérico, dos himalaias, tântrico, tantrayna e mantrayana.
(3) Apesar do Vajrayana se ter desenvolvido principalmente no Tibete e em países vizinhos como o Butão, também existem linhagens antigas do Vajrayana em outros países, tais como Coreia, Japão, entre outros.
(4) O budismo também influenciou o hinduísmo. Fala-se muito na influência que o hinduísmo teve no budismo tibetano, mas houve uma influencia mutua. O hinduísmo ou bramanismo era muito diferente na altura do Buda, e com o crescimento do budismo o bramanismo passou a incorporar muitos elementos do budismo. Verifica-se também que existia uma convivência bastante interessante entre as várias tradições espirituais da Índia. Por exemplo, muitas grutas budistas e hinduístas estão lado a lado, o que indica que antigamente deveria haver muitos poucos conflitos e que os diálogos entre as várias tradições deveriam ser bastantes, e por isso a influência mutua.
(5) Apesar do Budismo ter nascido na Índia, praticamente desapareceu da sua terra de origem e, só nas últimas décadas é que começou novamente a crescer.

Pergunta: Isso tudo me parece muito confuso. Se eu quiser praticar o Budismo,
como posso saber qual dessas escolas escolher?
Resposta: A questão pode ser comparada com um rio. A foz de um rio é sempre muito diferente de sua nascente. Mas, se alguém segue o rio a partir de sua nascente, conforme ele serpenteia por morros e vales, por cachoeiras e numerosos riachos que a ele afluem, termina por chegar à foz, e compreende porque ela parecia tão diferente de sua nascente. Se você deseja estudar o Budismo, comece com as primeiras lições mais básicas: As Quatro Nobres Verdades, O Nobre Caminho Óctuplo, a vida do Buda histórico, e por aí em diante. Depois, estude como e porque esses ensinamentos e ideias evoluíram e foque na abordagem ao Budismo que mais lhe soe atrativa. Dessa forma ser-lhe-á impossível dizer que a nascente de um rio é inferior à sua foz, ou que a foz é uma distorção da nascente.

*   *   *   *

Como vimos, podemos dividir o budismo em 3 ramos principais: Theravada, Mahayana e Vajrayana. Dentro dessa classificação ainda existem outras divisões. Por exemplo, o Zen pertence ao Mahayana, e dentro do Zen estão as escolas Soto Zen, Rinzai Zen e muitas outras mais. O Vajrayana herda os Sutras (escrituras) do Mahayana, e por isso podemo-nos referir às escolas do Vajrayana também como Mahayana.

Apesar da variedade e das diferenças, existe um núcleo comum que une todos os ramos e escolas tradicionais:

 

– OlharBudista > Recursos > Budismo Básico –


Sobre Bhante Shravasti DhammikaLista de Mestres e Professores

As notas no trecho deste post foram acrescentadas pelo autor deste site.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s